EUROPA EM CHAMAS

Mais de mil pessoas mortas por causa do calor em Portugal e Espanha

Região ao norte de Lisboa atingiu a temperadura de 47ºC. Além das vítimas fatais, autoridades também estão lutando contra múltiplos incêndios.

1000 bombeiros estão no combate direto às chamas em Portugal (Créditos: Octavio Passos/Getty Images)

Desde o seu início, a pouco mais de uma semana, a onda de calor que está atingindo a Europa já deixou mais de mil pessoas mortas apenas nos países ibéricos de Portugal e Espanha. Segundo as autoridades locais, a maioria das vítimas são pessoas idosas.

Publicidade

A Direção-Geral de Saúde de Portugal apontou no último sábado (16) que já havia registrado 659 pessoas mortas pelo calor desde o início da onda. O pico de mortes foi na quinta-feira (14), quando a temperatura média do país atingiu 40ºC, com algumas regiões batendo até mesmo 47ºC.

Já o Instituto de Saúde Carlos Terceiro, da Espanha, divulgou no mesmo fim de semana que o calor havia matado 360 pessoas no país dentro dos últimos sete dias.

As autoridades dos dois países afirmam que a onda crítica deve passar nessa semana, mas mantém o alerta para as temperaturas extremamente altas.

Além das mortes, o calor extremo também tem causado incêndios florestais nos dois países. Em Portugal, são 13 incêndios ocorrendo simultaneamente no centro e norte de país. Atualmente, 1000 bombeiros (cerca de 4% do contingente total do país) estão mobilizados no combate direto às chamas.

Publicidade

A situação é ainda mais crítica na Espanha. São 2o incêndios acontecendo no país e 3 mil pessoas já tiveram que sair de casa por causa das chamas, apesar de boa part já ter retornado.

Outros países da Europa já encaram ou se preparam para encarar situações semelhantes. O Reino Unido vive uma crise com as altas temperaturas nessa semana, enquanto Itália e França se preparam para o calor superior à 40ºC.

Publicidade