NA CORDA BAMBA

ONU diz que humanidade está ‘a um erro de calculo da aniquilação nuclear’ e que até agora tivemos ‘extraordinária sorte’

Segundo o secretário-geral da ONU, 13 mil armas nucleares estão em arsenais ao redor do mundo.

‘Desconfiança substituiu diálogo”, secretário-geral da ONU disse que o mundo vive uma situação muito frágil envolvendo armas nucleares. (Créditos: Michael M. Santiago/Getty Images)

Durante a reunião que acontece nesta segunda-feira (1) em Nova York para discutir o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP), o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que “a humanidade está a um equívoco, a um erro de cálculo da aniquilação nuclear.”

Publicidade

Guterres falou na abertura da conferência pedindo para os países presentes colaborarem para a redução urgente do arsenal nuclear. Para Guterres, esse é o momento para renovar e readequar o tratado, que foi assinado ainda na guerra fria, durante os anos 70. “Eliminar as armas nucleares é a única garantia de que nunca serão utilizadas“, disse o secretário-geral.

A fala de Guterres foi alarmante por trazer a tona a ameaça da aniquilação nuclear para a humanidade. Em seu discurso, ele disse que “a desconfiança substituiu o diálogo” e por isso o mundo “carece mais do que nunca do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares”.

Tivemos uma sorte extraordinária até agora. Mas a sorte não é estratégia nem escudo para impedir que as tensões geopolíticas degenerem em conflito nuclear”, completou Guterres.

Além de tratar os pontos urgentes da luta contra armamentos nucleares, o secretário-geral convocou os países para usarem essa tecnologia de forma benéfica, promovendo o uso dessa tecnologia para se atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que tem metas para a redução da poluição global até 2030.

Publicidade