Conflito Rússia X Ucrânia

Presidente Zelensky visita o leste da Ucrânia

O chefe de gabinete de Zelensky, Andriy Yermak, escreveu no aplicativo Telegram que o presidente visitou prédios residenciais destruídos.

presidente-zelensky-visita-o-leste-da-ucrania
Presidente Volodymyr Zelensky (Crédito: John Moore/Getty Images)

Pela primeira vez desde o início da invasão russa, o presidente Volodymyr Zelensky visitou tropas na região de Kharkiv, nordeste da Ucrânia, neste domingo (29). “Vocês arriscam suas vidas por todos nós e por nosso país”, afirmou o presidente segundo o site do gabinete.

Publicidade

O chefe de gabinete de Zelensky, Andriy Yermak, escreveu no aplicativo Telegram que o presidente visitou prédios residenciais destruídos e notou que os novos prédios precisaram ser construídos com abrigos antibombas. Além disso, Yermak disse que 31% da região de Kharkiv está atualmente ocupada pela Rússia, e outros 5% foram recuperadas pela Ucrânia.

“Há 2.229 casas destruídas em Kharkiv e em toda a região. Vamos restaurá-las, reconstruí-las e trazê-las de volta à vida. Em Kharkiv e em todas as outras cidades e vilas onde o mal veio”, informou o presidente Zelensky no Telegram. De acordo com agência de notícias Reuters, antes do presidente da Ucrânia chegar à cidade, explosões foram ouvidas.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu a Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças, Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Um dos motivos desta invasão é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente, sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

“Tanta dor em seu rosto – isso somos todos nós, isso é a Ucrânia. em vez de se esconder em bunkers ou em algum lugar a oeste e seguro, o líder do mundo livre percorre Kharkiv ainda sob fogo russo e a poucos quilômetros da linha de frente.”