VOTAÇÃO 2022!

Eleições 2022: homem tenta votar duas vezes e gera confusão

Por conta da atitude do eleitor, urna precisou ser impugnada na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e causou enorme polêmica em Portugal

Homem tentou votar duas vezes e cometeu crime eleitoral
Homem tentou votar duas vezes e causou polêmica em Portugal (Crédito: GettyImages)

Nas eleições de 2022, um homem tentou votar duas vezes e causou enorme confusão na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. De acordo com as informações do jornal “Correio Braziliense”, o rapaz já havia deixado seu voto na urna e furou a fila para registrar suas escolhas mais uma vez.

Publicidade

HOMEM DENUNCIADO!

Depois de ser flagrado, o eleitor foi denunciado junto à Polícia Federal e vai ter que responder por crime eleitoral. Por conta da atitude, a seção precisou interromper as atividades por certo período e impugnar a urna em questão.

Assim, todos os votos seguintes ao crime eleitoral cometido pelo homem que tentou votar duas vezes foram feitos através do papel. Além disso, um grupo que estava na fila passou a questionar a legitimidade da contagem dos votos, mas tudo foi resolvido.

Segundo o Cartório Eleitoral, a contagem dos votos não sofreu nenhum problema por conta do crime cometido. Contudo, a urna impugnada fez com que os votos impressos entrassem em ação para que os demais eleitores pudessem registrar suas escolhas. Depois do ocorrido, os mesários passaram a trabalhar ainda mais para evitar qualquer novo problema no momento da votação.

Vale destacar também que a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa registrou problemas em outras duas urnas. Diante disso, os votos impressos entraram em ação novamente para que não atrapalhasse a sequência do dia de eleições. Após certa confusão, as seções de Portugal voltaram a funcionar normalmente.

Publicidade

Em contato com a reportagem do jornal “Correio Braziliense”, Wladimir Valler Filho, que é o cônsul-geral do Brasil em Lisboa, garantiu que todos os problemas foram relatados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em Portugal, 58 urnas foram enviadas para que eleitores brasileiros pudessem exercer seus direitos. O país europeu tem mais de 45 mil eleitores aptos para registrar suas escolhas.


 

Publicidade