corrida eleitoral

Ronaldo Caiado formaliza apoio a Bolsonaro

Governador de Goiás oficializou o apoio durante encontro no Palácio da Alvorada, em Brasília.

(Crédito: José Cruz/ Agência Brasil)

O governador reeleito de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), formalizou seu apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), no segundo turno das eleições. A oficialização foi anunciada nesta quinta-feira (06), em Brasília, onde ele se reuniu com o atual chefe do Executivo.

Publicidade

Caiado se pronunciou após o encontro com Bolsonaro no Palácio da Alvorada e afirmou que apoiará a reeleição do presidente, principalmente pela “parceria” firmada entre o governo federal e o governo de Goiás nos últimos quatro anos. “Sou um homem de formação democrática como vossa excelência, presidente. E o povo goiano me reelegeu também no primeiro turno. (…) Em nome do povo goiano, eu venho aqui trazer e declarar apoio à reeleição de vossa excelência.”, disse.

“Fizemos a regionalização da saúde, algo jamais visto no nosso estado. Ampliamos nosso atendimento na educação, sendo referência nacional. A infraestrutura de Goiás, depois da Ferrovia Norte-Sul, da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste e da recuperação das rodovias federais, hoje a logística de Goiás é referência nacional.”, completou Caiado.

Além dele, outros governadores reeleitos ou que disputam o segundo turno, estiveram em Brasília nesta manhã para oficializar o apoio à reeleição do presidente.  Gladson Cameli (PP), Wilson Lima (União Brasil), Coronel Marcos Rocha (União Brasil), Mauro Mendes (União Brasil)  e Antonio Denarium (PP), discursaram a favor de Bolsonaro.

Mais cedo, Bolsonaro havia encontrado outros candidatos eleitos no primeiro turno das eleições, também em Brasília. Em seu discurso, o presidente afirmou que mais de 200 deputados estiveram presentes.

Publicidade

Nos últimos dias, outros cinco governadores se uniram ao candidato do PL. São eles: Romeu Zema (MG), do Novo; Cláudio Castro (RJ), do PL; Rodrigo Garcia (derrotado nas urnas em SP), do PSDB; Ibaneis Rocha (DF), do MDB; e Ratinho Júnior (PR), do PSD.