Crise entre poderes

Bolsonaro responde Moraes sobre lisura das eleições e diz que deve se ter “pena” de quem pede AI-5

No último mês, Bolsonaro voltou a colocar em dúvida a segurança das urnas eletrônicas para o pleito eleitoral.

bolsonaro-indica-novo-lider-do-governo-no-senado
Jair Bolsonaro (Crédito: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) respondeu às declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, de que as eleições de outubro serão limpas e transparentes.

Publicidade

“Se ele tem certeza disso, por que criar tanto óbice para aquelas instituições que ele convidou participem mais nesse processo? Tenho certeza de que as eleições serão limpas. Mas têm dúvidas ainda que devem ser esclarecidas. Nós, homens públicos, não somos donos da verdade”, disse Bolsonaro.

O presidente ainda disse que classifica como ”psicopata ou imbecil aqueles que duvidam de manifestações espontâneas como 7 de Setembro e 1° de Maio, como se fossem atos antidemocráticos. Parafraseando Alexandre de Moraes, quem não quer ser criticado, fica em casa”.

Bolsonaro também foi questionado sobre as faixas que pedem o fechamento do STF e a volta do AI-5. O presidente afirmou que se deve ter “pena” de quem pede o AI-5. Este foi o Ato Institucional emitido pelo presidente Artur da Costa e Silva, em 1968, que resultou na perda de mandatos de parlamentares.

“Você acha que isso tem repercussão? O maluco levanta uma faixa lá ‘AI-5’. Existe AI-5? Você tem que ter pena do cara que levanta a faixa do AI-5. Você tem que chegar para ele, da imprensa, ‘oh, amigo, o AI-5 foi lá na época dos anos 60, que tinha ato institucional’. Não existe isso. Você tem que ter pena dessa pessoa e não querer prender. Usar o seu poder para humilhar, tirar liberdade, multar essa pessoa”, disse Bolsonaro.

Publicidade

Publicidade