Crianças que ficaram 26 dias perdidas na floresta deixam o hospital

“Essas crianças passaram quase 30 dias de libação alimentar, ou seja, não tomaram uma água de qualidade, e muito menos ingeriram uma dieta calórica necessária para sustentar o corpo deles”, disse o coordenador do distrito indígena em Manaus

Crianças que ficaram 26 dias perdidas na floresta deixam o hospital
Parte da Floresta Amazônica vista de cima (Créditos: Agência Brasil)

As crianças, de 6 e 8 anos, que ficaram 26 dias perdidas numa floresta na região de Manicoré, no Amazonas, deixaram ontem (06), andando, o Hospital em que estavam internadas em Manaus.

Publicidade

De acordo com o coordenador do distrito indígena em Manaus, Januário Carneiro da Cunha, os irmãos Glauco e Cleisson Ferreira já têm uma dieta normal e estão se alimentando bem, mas com toda observação nutricional, por conta do estado de subnutrição em que chegaram.

Relembre o caso

Em 18 de fevereiro, as crianças estavam na mata caçando passarinhos em sua cidade, Manicoré, AM, quando se perderam e só foram achadas 26 dias depois e a mais de 15 quilômetros de distância de onde estavam.

Publicidade

Antes de serem encontradas, o Corpo de Bombeiros já tinha encerrado suas buscas, mas por persistência de indígenas e moradores da região foram resgatadas com vida, porém muito debilitadas.

Um morador da região estava na floresta quando ouviu gritos de socorro, e foi quando encontrou os garotos em estado delicado e os resgatou, trazendo-os no colo até sua casa. Logo após, as crianças ficaram no Hospital Regional de Manicoré, de onde foram transferidas para um hospital em Manaus para um melhor tratamento.

Segundo os próprios meninos, durante esse tempo na mata eles só conseguiram tomar água da chuva, pois não conseguiram achar um rio, e se alimentar de vegetais conhecidos, garantindo assim sua sobrevivência.

Publicidade