NA BALA

Deputado no Ceará diz que se não ganhar nas urnas, vai ganhar ‘na bala’

Candidato espalhou descrença contra as urnas eletrônicas e fez ameaças contra a oposição do governo.

Deputado foi acusado de tortura em 2010, enquanto atuava na polícia (Créditos: Reprodução/Redes sociais)

O deputado estadual pelo Ceará, Delegado Cavalcante (PL), fez ameaças de usar a violência e resolver ‘na bala’ caso Jair Bolsonaro (PL) não vença nas urnas nestas eleições. As falas antidemocráticas foram feitas durante as manifestações do 7 de Setembro em Fortaleza.

Publicidade

Se a gente não ganhar nas urnas, se eles roubarem nas urnas, nós vamos ganhar na bala“, disse Cavalcante. Apoiadores que estava presentes no ato aplaudiram a fala e fizeram símbolos de armas com a mão. O discurso foi seguido por falas de desconfiança das urnas eletrônicas, com o candidato afirmando que Bolsonaro venceu no primeiro turno em 2018, mas a votação foi adulterada para provocar um segundo turno.

Nós não temos medo, nós somos a resistência. Não temos medo dessa corja, esses pilantras que acabaram com o Brasil. Não vamos deixar que nosso presidente perca a eleição”, continuou.

Publicidade

Em 2010, o Ministério Público do Ceará concluiu que Delegado Cavalcante, ainda na força policial, foi diretamente responsável pela tortura de quatro pessoas. O candidato segue tentando provar que houve um equívoco por parte do MP.

O discurso do candidato à deputado usado no Ceará é uma réplica do adotado pelo presidente e seus apoiadores, exceto pela ameaça explicita de resolver ‘na bala’. Mas a crença de que as urnas foram adulteradas para provocar um segundo turno é comum entre políticos bolsonaristas.

 

Publicidade