Ministério da Saúde

Deputado pede medidas de controle da varíola dos macacos no país

Dr. Luizinho indica que o controle deve ser feito sobretudo daqueles passageiros que vêm da Espanha, país onde já foram confirmados 607 casos da doença.

deputado-pede-medidas-de-controle-da-variola-dos-macacos-no-pais
Vírus da variola dos macacos (Créditos: Divulgação/ Science Photo Library)

O deputado Dr. Luizinho (PP-RJ), presidente da Comissão Externa do Coronavírus da Câmara, enviou nesta quarta-feira (22) um requerimento ao Ministério da Saúde pedindo que seja feito um controle da temperatura de passageiros nos aeroportos do país, devido ao aumento de casos da varíola dos macacos.

Publicidade

Ele indica que o controle deve ser feito, sobretudo, daqueles passageiros que vem da Espanha, país onde já foram confirmados 607 casos. No Brasil, 16 casos foram confirmados sendo quatro no estado do Rio de Janeiro, dez em São Paulo e dois no Rio Grande do Sul.

Dr. Luizinho lembra que, no Carnaval de 2020, antes de ser registrado o primeiro caso de Covid-19 no Brasil e antes da declaração de pandemia da Organização Mundial de Saúde (OMS), ele fez um pedido semelhante para o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e foi ignorado. “Espero que a história não se repita”, disse o deputado.

No mundo, até a última quarta-feira (22), foram confirmados 2.667 casos. Até o momento, a OMS disse que a ocorrência da doença não se trata de uma epidemia e, muito menos, de uma pandemia. Entretanto, para o deputado, é fundamental conter o surto da doença antes que ele saia de controle.

O vírus que causa a doença é transmitido por meio de contato direto com animais ou humanos infectados, ou com roupas e objetos infectados. Além disso, a mordida de animais que carregam o vírus ou o consumo destes, além de gotículas respiratórias e via sexual, podem levar à transmissão da doença. Diferentemente da Covid-19, a varíola dos macacos não é de fácil transmissão.

Publicidade

Os sintomas, como bolhas doloridas, semelhantes a catapora, costumam aparecer após 4 a dez dias e se vão após duas ou quatro semanas. Além das erupções cutâneas, varíola dos macacos causa dores de cabeça, costas e muscular, febre, calafrios, cansaço e inchaço dos gânglios. O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças recomendou que todos os casos suspeitos sejam isolados e que os contatos de alto risco recebam uma vacina contra a varíola.

Publicidade