Eclipse lunar parcial mais longo em 580 anos vai ser visto do Brasil

Ameça de chuva pode dificultar a visualização do espetáculo dos corpos celetes

Eclipse lunar parcial mais longo em 580 anos vai ser visto do Brasil
(Crédito: Estúdio de Visualização Científica da NASA)

O eclipse lunar parcial mais longo em 580 anos ocorrerá nesta-sexta-feira (19) e poderá ser visto do Brasil.

Publicidade

No auge do fenômeno, a Lua terá mais de 97% de sua superfície coberta pela sombra da Terra e ganhará uma aparência avermelhada.

Eclipses parciais são mais frequentes do que eclipses totais, ainda que menos espetaculares.

O eclipse lunar parcial começa por volta das 4h19 de Brasília, e deve durar pouco mais de 3h. Porém, ele pode ser observado uma hora antes, quando a Lua entra na penumbra da Terra (parte externa da sombra). Nesse momento, o satélite escurece, ainda que de forma sutil.

O pico deve acontecer às 6h, mas, como a Lua já estará abaixo do horizonte no Brasil, não será possível mais vê-la.

Publicidade

Para os brasileiros, o melhor momento para observar o eclipse lunar parcial será logo no início, por volta das 4h, quando o eclipse de fato começa. A visibilidade dependerá de condições meteorológicas de cada cidade.

De acordo com dados da plataforma “Time and Date“, o eclipse lunar parcial poderá ser visto do Recife a partir das 03h02, com eclipse máximo por volta das 04h46 e final às 4h51, totalizando cerca de 1h50.

Em São Paulo, por exemplo, começará às 3h, acabando pouco depois das 5h. Já em Manaus, começará às 2h, acabando depois das 5h40. Quanto mais ao Oeste do país, mais tempo terá o evento. A observação também dependerá das condições climáticas das regiões.

Publicidade

Um eclipse lunar ocorre quando a Lua, o Sol e a Terra se alinham brevemente, bloqueando os raios solares que costumam chegar à superfície do satélite natural do planeta. Isso gera uma sombra, que encobre a Lua pouco a pouco. Na madrugada do dia 19 de novembro, a sombra terrestre esconderá 97% da Lua Cheia, por isso o fenômeno é chamado de “eclipse parcial“.

Nas redes sociais da NASA tem essas e outras explicações incríveis a cerca do universo, confira abaixo:

As estrelas se formam a partir de nuvens gigantes de poeira e gás, como a ‘protoestrela’ aqui. Eventualmente, material suficiente se acumula e se torna quente e denso o suficiente para iniciar a fusão nuclear. E isso é uma estrela! O gás e a poeira restantes podem se tornar cometas, asteróides ou planetas.

Publicidade