alertas de desmate

Pela 3ª vez passam de 8 mil km² de área sob devastação durante gestão Bolsonaro

No mês de julho, a área sob alerta de desmatamento na região foi de 1.486 km² de floresta, a maior para a temporada.

pela-3a-vez-passam-de-8-mil-km²-de-area-sob-devastacao-durante-gestao-bolsonaro
Os dados são do Instituto de Pesquisas Especiais (Inpe) (Créditos: Getty Images)

O acumulado de alertas de desmatamento em 2022 na Amazônia foi de 8.590 km², de acordo com dados do Instituto de Pesquisas Especiais (Inpe). Esse é o terceiro ano consecutivo, durante a gestão de Jair Bolsonaro, que os alertas de área sob devastação ficam acima da marca de 8 mil.

Publicidade

No mês de julho,  a área sob alerta de desmatamento na região foi de 1.486 km² de floresta, a maior para a temporada. Fatores que intensificam o desmate são o ciclo de chuvas e secas do bioma, além de como as queimadas e o desmatamento flutuaram dentro dos mesmos parâmetros climáticos.

Entre agosto de 2021 e 31 de julho deste ano, houve alerta de desmatamento de 8.590 km² de área da floresta, uma zona que equivale um pouco mais que o tamanho da cidade de Campo Grande (MS), de acordo com o levantamento. 

“O que a gente vê agora com o fechamento do calendário de 2022 é uma forte associação ao desmonte de uma estrutura de governança e proteção territorial na Amazônia”, diz Mariana Napolitano, gerente de Ciências do WWF-Brasil.

“A causa para o aumento contínuo do desmatamento é o ambiente sem lei que virou o Brasil, especialmente nas áreas de conflito como Amazônia e Cerrado”, afirma Angela Kuczach, diretora-executiva da Rede Nacional Pró Unidades de Conservação.

Publicidade

Publicidade