Planalto passará por reforma para dar mais espaço a servidores

A reforma, que custará aos cofres públicos R$ 1,4 milhão, vai acrescentar oito novas salas na sede do governo federal

governo-define-a-proxima-sexta-feira-como-ponto-facultativo
(Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O 4º andar do Palácio do Planalto será interditado a partir de hoje (21) para reformas que servirão para dar mais espaço de trabalho ao alto escalão do governo. A reforma, que custará aos cofres públicos R$ 1,4 milhão, vai acrescentar oito novas salas na sede do governo federal. A obras, segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República serão feitas de segunda a sexta-feira, das 22h às 5h, para não “comprometer e nem prejudicar as atividades”  nos demais setores do Planalto.

Publicidade

“O projeto foi elaborado atendendo à demanda para a criação de novas salas administrativas, visando a melhor distribuição do espaço em relação a força de trabalho sediada no edifício. Servidores dos quatro ministérios palacianos ocuparão os novos locais”, diz nota da secretaria.

Por isso, além dos servidores da Secretaria-Geral, haverá também a realocação de servidores da Casa Civil, Secretaria de Governo e do Gabinete de Segurança Institucional.

Pelo cronograma, as obras serão realizadas em três etapas. A primeira terá duração de 60 dias, com a retirada de mobiliário, obras de arte, abertura do forro do corredor de acesso ao gabinete do ministro da Secretaria-Geral e do forro dos elevadores das alas oeste e leste.

A segunda etapa terá 90 dias e a terceira etapa, apenas 30. Parte da estrutura do palácio ficará aparente durante o período de reforma.

Publicidade

A secretaria informou ainda que todo o processo de modernização do Palácio do Planalto foi autorizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Corpo de Bombeiros.

(Agência Brasil)

Publicidade