SP Invisível faz churrasco para moradores de rua em frente a Touro da B3

Ação ocorreu na noite desta quarta-feira (17/11); organização alerta para “progresso que de fato não existe”

SP Invisível faz churrasco para moradores de rua em frente a Touro da B3
(Crédito: Reprodução Redes Sociais/SP Invisível)

A escultura de um touro dourado colocado em frente à Bolsa de Valores de São Paulo e inspirado em uma versão norte-americana continua causando protestos. Desta vez, um grupo organizou um churrasco para os moradores de rua da capital paulista em frente ao touro de ouro localizado na B3.

Publicidade

O churrasco ocorreu nesta quarta-feira (17/11) e foi realizado pela ONG SP Invisível. Pelas redes sociais, o grupo explicou a ação: “Ontem fizemos nosso churrascão em frente a Bolsa de Valores de São Paulo para lembrar que esse ‘Touro de Ouro’ não significa nada para as pessoas em situação de rua, nossos irmãos e irmãs!”.

Hoje, aconteceu ainda o protesto foi realizado pelo Movimento Juntos, um coletivo de esquerda fundado em 2011 que, segundo seu site oficial, defende pautas anticapitalistas. O Touro de Ouro foi escolhido como alvo justamente por ser um símbolo do mercado financeiro que, diz o movimento, “vive uma realidade descolada da realidade da maioria das pessoas no Brasil e no mundo”.

O churrasco desta quarta em apoio as pessoas em situação de rua, foi só mais um dos vários protestos contra o Touro de ouro da B3. Desde a estreia na terça-feira (16/11), já foram colados lambe-lambes no touro, assim como cartazes.

Veja abaixo a declaração do Fundador da SP Invisível, Andre Soler:

Publicidade

”Em um momento tão desigual que vivemos…o progresso está em olhar e ajudar o próximo.
Se for para ter touro que seja quem passar fome.
Se for para ter ouro, que seja para uma economia sustentável.”

Ainda nas redes sociais da SP Invisível eles declararam:

Publicidade

”PROGRESSO PRA QUEM? Bem-vindo ao Brasil, terra da desordem e retrocesso. Debatemos significado, estética, e política, enquanto 116 milhões de brasileiros vivem a insegurança alimentar e famílias inteiras comem do lixo para sobreviver. Por quê? Pense nisso. E que hoje seja um dia de menos ódio, e mais compaixão para os problemas de verdade da nossa sociedade. Não te peço mais nada. Apenas que enxergue.”


Publicidade