"Postergaram o Problema"

Unijava vai na contramão da PF e cita crime organizado no caso de Dom e Bruno

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) também divulgou uma nota pedindo que as autoridades brasileiras investiguem o assassinato do jornalista Dom Phillips.

Unijava vai na contramão da PF e cita crime organizado no caso de Dom e Bruno
Polícia Federal durante as buscas do caso Dom e Bruno (Créditos: Reprodução/Instagram Polícia Federal AM)

A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Unijava) disse, nesta sexta-feira (17), que o crime organizado está envolvido no caso que culminou na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips.

Publicidade

O texto divulgado pela Unijava diz que a Polícia Federal (PF) desconsiderou “informações qualificadas” fornecidas pela instituição. A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari também rechaçou a hipótese da PF de o crime não ter mandantes ou envolvimento do crime organizado.

Segundo o grupo, eles enviaram ao Ministério Público, à Polícia Federal e à Fundação Nacional do Índio (Funai) alguns documentos que continham detalhes sobre a organização criminosa que age na região no Vale do Javari, no Amazonas.

“O requinte de crueldade utilizado na prática do crime evidencia que Pereira e Phillips estavam no caminho de uma poderosa organização criminosa que tentou a todo custo ocultar seus rastros durante a investigação”, diz a nota da Unijava.

O representante e assessor jurídico da Unijava, Yuri Niwa Wani Marubo, deu uma forte entrevista ao jornal Correio Braziliense também nesta sexta (17). Yuri afirma estar temeroso pela segurança de seu povo e diz que “o governo já perdeu todo o controle da região”:

Publicidade

“Estamos muito preocupados com a nossa segurança. Não sabemos como será depois desse caso e como ficarão as lideranças (…) Este governo é algo que foge da concepção. Não dá suporte nenhum para os órgãos que atuam na região: Funai, Ibama e Polícia Federal. O governo não dá condições mínimas para a polícia de Estado fazer seu trabalho (…) O governo já perdeu todo o controle da região.” 

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) também divulgou uma nota pedindo que as autoridades brasileiras investiguem o assassinato do jornalista Dom Phillips. A diretora-geral da organização destacou que jornalistas estão sendo mortos por destacar temas ambientais.

 

Publicidade