Ministra da Agricultura descarta comprar fertilizantes da Rússia

Tereza Cristina também reconhece que preços dos alimentos podem ser afetados pelo conflito na Europa.

ministra-da-agricultura-descarta-comprar-fertilizantes-da-russia
A preocupação do governo federal é com a próxima safra de verão, entre setembro e outubro (Crédito: Getty Images)

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, descartou nesta quinta-feira, 03, qualquer chance do Brasil comprar fertilizantes da Rússia enquanto o país estiver envolvido numa guerra com a Ucrânia.

Publicidade

O comentário foi feito durante uma live nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro, segundo o Estadão. “Temos suspensão desse comércio porque não temos como pagar esses produtos, nem navios para carregar“, afirmou a ministra na transmissão.

A importação de fertilizantes da Rússia e de Belarus está travada por uma série de sanções aplicadas aos dois países pelo envolvimento na guerra da Ucrânia.

Tereza Cristina também reconheceu que os preços dos alimentos podem ser afetados pelo conflito na Europa. Na avaliação dela, o impacto no bolso do consumidor vai depender de quanto tempo a guerra vai demorar. Sem os fertilizantes, a tendência é que os alimentos fiquem mais caros.

Durante uma coletiva na última quarta-feira, a ministra afirmou que o Brasil tem estoque de fertilizantes para o agronegócio até outubro. Segundo Cristina, no momento, não há problemas.

Publicidade

A preocupação do governo é com a próxima safra de verão, entre setembro e outubro, de acordo com a Agência Brasil.

Diante do problema, o governo brasileiro busca novos fornecedores. A ministra confirmou que vai ao Canadá para negociar o produto.

Dados da BBC mostram que o Brasil importa 85% dos fertilizantes que usa e a Rússia responde por 23% das importações.

Publicidade

Entenda a invasão à Ucrânia

Depois de vários meses de tensão e negativas, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou a invasão da Ucrânia. O exército russo bombardeia e avança por terra em cidades do sul, leste e norte do território ucraniano.

Publicidade

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização.

O presidente russo também alega que a Ucrânia está sob influência estrangeira e que não merece ser um país independente.

Publicidade