ONU decide retirar Rússia do Conselho de Direitos Humanos

A resolução adotada por 193 membros da Assembleia-Geral expressa “grande preocupação com a crise humanitária e de direitos humanos em andamento na Ucrânia“

ONU decide retirar Rússia do Conselho de Direitos Humanos
Na votações, foram 93 a favor, 24 contra e 58 abstenções (Créditos: Chris Hondros/Getty Images)

A Assembleia-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) obteve a maioria , nesta quinta-feira (7) para suspender a Rússia do Conselho de Direitos Humanos do órgão pedida em uma resolução apresentada.

Publicidade

A resolução adotada por 193 membros da Assembleia-Geral expressa “grande preocupação com a crise humanitária e de direitos humanos em andamento na Ucrânia“, em especial com relatos de abusos de direitos por parte da Rússia.

Na votações, foram 93 a favor, 24 contra e 58 abstenções. Era necessário uma maioria de dois terços dos membros votantes, as abstenções não contam, para suspender o país do conselho de 47 membros.

Um dos países que decidiu se abster na votação, foi o Brasil. Embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Costa Filho, disse que o país “está comprometido em encontrar formas de cessar as hostilidades imediatamente, promover um diálogo real em busca de uma solução sustentável e pacífica, garantindo respeito aos direitos humanos e ao direito humanitário”.

Na ocasião, o vice-embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Gennady Kuzmin, pediu a todos os estados-membros que rejeitassem a decisão, chamando o projeto de “um precedente perigoso”. Essas suspensões são raras. no ano de 2011, a Líbia foi suspensa devido à violência contra manifestantes por forças leais ao então líder Muammar Gaddafi.

Publicidade

Do atual mandato, a Rússia estava no segundo ano de três no conselho sediado em Genebra, na qual não podem tomar decisões juridicamente vinculativas. No entanto, suas decisões enviam mensagens políticas importantes e podem autorizar investigações.

O conselho abriu uma investigação no mês passado sobre alegações de violações de direitos da Ucrânia, incluindo possíveis crimes de guerra, desde o conflito da Rússia. Desde o começo do ataque, que se deu início no dia 24 de fevereiro, a Assembleia-Geral adotou duas resoluções denunciando a Rússia, com 141 e 140 votos a favor. Moscou, por outro lado, diz que está realizando uma “operação especial” para desmilitarizar a Ucrânia.

“NOTÍCIAS: UNGA adota resolução histórica suspendendo a adesão da Rússia ao Conselho de Direitos Humanos e expressando grande preocupação com a atual crise humanitária e de direitos humanos na Ucrânia. “

Publicidade

Publicidade