tensões geopolíticas

Rússia diz que vazamentos de oleodutos Nord Stream estavam na zona dos EUA

Para discutir os incidente, o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunirá nesta sexta-feira (30).

Nesta quinta-feira (29) um quarto vazamento foi detectado (Créditos: Getty Images)

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirmou que os vazamentos nos oleodutos Nord Stream estavam em uma zona controlada pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos. A informação foi divulgada pela agência de notícias RIA, nesta quinta-feira (29).

Publicidade

Os membros da União Europeia têm investigado nos últimos dias vazamentos repentinos nos gasodutos sob o Mar Báltico. Os oleodutos ligam a Rússia à Alemanha e estão no centro das tensões geopolíticas, uma vez que Moscou cortou o fornecimento de gás para a Europa em suspeita de retaliação, após a aplicação de sanções pela invasão da Ucrânia.

Nesta quinta-feira (29), um quarto vazamento foi detectado. A Guarda Costeira sueca disse que “Há dois vazamentos no lado sueco e dois vazamentos no lado dinamarquês”. O serviço de segurança russo FSB está investigando os vazamentos e os danos aos oleodutos como “terrorismo internacional”, segundo a agência de notícias Interfax, segundo a promotoria geral.

Para discutir os incidente, o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reunirá nesta sexta-feira (30).

A Procuradoria-Geral russa declarou hoje que abriu uma investigação sobre os recentes atentados nos gasodutos Nord Stream, dos quais a Rússia é parte. No canal do Telegram, a autoridade russa fala de “actos intencionais para danificar os gasodutos Nord Stream 1 e Nord Stream 2”. pic.twitter.com/8oHdvXGaNi

Publicidade

— geopol.pt (@GeopolPt) September 28, 2022

Publicidade