Crise Diplomática

Turquia se opõe à entrada de Suécia e Finlândia na OTAN

O presidente turco afirmou que os países escandinavos abrigam terroristas em seus territórios.

Turquia se opõe à entrada de Suécia e Finlândia na OTAN
A Turquia, por ser um país transcontinental, tem papel estratégico importante (Crédito: Getty Images)

Nesta sexta-feira (13), a Turquia se opôs à entrada da Suécia e da Finlândia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). A justificativa apresentada pelo presidente turco, Tayyip Erdogan, foi de que estes países abrigam curdos considerados terroristas em Ancara, capital da Turquia.

Publicidade

É a primeira vez que algum país participante da OTAN se manifestou contra a adesão dos países escandinavos, que eram neutros até o início do conflito entre Rússia e Ucrânia. Para resolver esse impasse, representantes das Relações Exteriores dos três países se encontrarão na Alemanha neste sábado (14).

Apesar de fazer parte da OTAN, a Turquia é uma grande parceira comercial da Rússia, que disse que haveria “retaliações sem precedentes” caso a Suécia e a Finlândia entrem na aliança.

Erdogan afirmou que os países escandinavos em questão abrigam membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), e que são considerados terroristas na Turquia.

Publicidade

“Não temos uma opinião positiva. Os países escandinavos são como uma casa de hóspedes para organizações terroristas”, afirmou Tayyip Erdogan.

A Turquia tem importantes relações comerciais com a Ucrânia e também com a Rússia. Desde o início do conflito, está buscando manter relações com os dois países, inclusive já intermediou, diplomaticamente, reuniões entre os dois.

 

Publicidade