CRIMES DE GUERRA

Ucrânia vai ao Tribunal Internacional após ataque da Rússia matar prisioneiros de guerra

Estima-se que ao menos 40 prisioneiros ucranianos morreram no ataque.

Ucrânia vai ao Tribunal Internacional após ataque da Rússia matar prisioneiros de guerra
Exército russo está sendo acusado do mesmo crime em outras regiões do país (Créditos: Sean Gallup/Getty Images)

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia foi ao Tribunal Penal Internacional nesta sex-tafeia (29) denunciar um ataque da Rússia que matou prisioneiros de guerra ucranianos. O bombardeio ocorreu na região separatista de Donetsk

Publicidade

“Pedimos ao Gabinete do Procurador do Tribunal Penal Internacional que chame urgentemente a atenção para as atrocidades dos militares russos no contexto da investigação de crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos por cidadãos da Federação Russsa no território da Ucrânia”, escreveu o ministério ucraniano.

O ataque em questão teria sido um bombardeio que atingiu um centro de detensão em Donetsk, onde soldados ucranianos estariam presos pelos separatistas.

A Rússia nega participação no ataque e diz que o explosivo que atingiu a área e matou os prisioneiros partiu do próprio exército da Ucrânia.

A ação militar russa no país é acusada de cometer crimes semelhantes na região de Olenivika, onde bombardeios atingiram instituições de detenção onde soldados ucranianos estariam sendo mantidos.

Publicidade

O assassinato de prisioneiros de guerra infringe o artigo 122 da Convenção de Genebra, tratado assinado internacionalmente para definir limites da brutalidade da guerra. Ucrânia e Rússia são signatários.