BIZARRICES ELEITORAIS

“Eleição de festa junina”, confira os momentos mais bizarros das eleições de 2022

Acompanhe a recapitulação de 5 momentos marcantes de tão inusitados do período eleitoral que foram cobertos pela equipe do Perfil Brasil.

2022 foi marcado por candidatos chocantes, alianças surpreendentes e debates acalorados (Reprodução/Redes sociais)

Poucas disputas no Brasil são tão emocionantes e propensas a situações bizarras quanto as eleições presidenciais. Em 2022, num contexto tão atípico, isso não foi diferente. Confira um resumo da cobertura da Perfil Brasil das campanhas eleitorais deste para relembrar os 10 momentos mais chocantes, polêmicos e surpreendentes que este ano de eleição proporcionou.

Publicidade

1 – Aliança entre Lula e Geraldo Alckmin

Para quem acompanha política há tempo no Brasil, talvez essa aliança entre dois velhos adversários foi uma das surpresas mais inusitadas dessa eleição. Os dois chegaram a se enfrentar em 2006, em um confronto em que Lula saiu vitorioso e assumiu seu segundo mandato como presidente.

Em 2018, enquanto era governador de São Paulo, Alckmin chegou a dar uma entrevista para a Rádio Bandeirantes em que chamou o ex-presidente de “ladrão”. Esses e outros atritos históricos e ideológicos entre os dois políticos fez vários apoiadores questionarem a realidade quando souberam que os dois estariam na mesma chapa.

2- Kid Bengala para deputado

Todas as eleições trazem alguns candidatos-surpresa, e por mais incrível que pareça, as eleições de 2022 não foram as primeiras a apresentar o ex-ator pornô Kid Bengala como um deles. Clóvis Basílio dos Santos, nome real do ator, se lançou como vereador pelo PTB em 2020.

Apesar de não ter conquistado o cargo naquele ano, Kid decidiu insistir e mirar em um cargo mais alto, o de deputado federal. Com o apoio do União Brasil, ele ainda conseguiu um número emblemático, o 4469, e saiu com uma campanha cheia de slogans em forma de trocadilhos, como eu vou entrar com tudo.

Publicidade

3- Jair Bolsonaro, o Imbrochável

Em pleno bicentenário da independência do Brasil, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e visitantes internacionais se depararam com uma cena completamente inusitada. Durante as celebrações do feriado de 7 de setembro, o presidente puxou um coro de “imbrochável” com seus eleitores.

4 – Lula não foi para Paris porque estava preso

Os debates eleitorais de 2022 foram marcados por brigas e ataques pessoais entre os candidatos.

A rodada de debates foi inaugurada pela Bandeirantes no dia 28 de setembro, emuma segunda-feira. Na ocasião, as grosserias entre os candidatos também se inaugurou. Uma das cenas mais marcantes foi um momento de conflito entre Lula e Ciro Gomes.

Publicidade

O petista estava alfinetando seu adversário afirmando “eu não saí do Brasil para não votar no Haddad“, ao que o pedetista respondeu “não saiu porque estava preso“.

5- Padre Kelmon

Nas últimas semanas, o candidato a presidente do PTB para essas eleições se revelou um dos políticos mais bizarros que as eleições do Brasil já apresentaram. Além de se apresentar como Padre sem nem ao menos ser reconhecido pelas igrejas católica e ortodoxa como um, Kelmon compareceu aos debates com um discurso negacionista, repleto de jargões e com constantes interrupções aos adversários.

Mais interessante do que a própria participação, Kelmon também chamou atenção pela forma como os outros candidatos lidaram com ele. Simone Tebet se estressou com o Padre e lhe disse “eu jamais me confessaria com você“; Soraya Thronicke não só o chamou de “padre de festa junina“, como também o perguntou se não tinha medo de ir pra o inferno; Lula, por sua vez, chamou Kelmon de farsante, “laranja” e o provocou para uma discussão que fez Willian Bonner, o apresentador do debate da Globo onde os dois se encontraram, precisar desligar os microfones.

Publicidade

 

 

 

Publicidade