primeiro turno

Pesquisas eleitorais divergem dos resultados das urnas

Levantamentos divulgados anteriormente divergiram dos resultados apontados pelas urnas neste domingo (02). Lula e Bolsonaro disputarão o segundo turno em 30 de outubro.

pesquisas-eleitorais-divergem-dos-resultados-das-urnas
A disputa presidencial segue para o segundo turno (Créditos: Antonio Augusto/ASCOM/TSE)

Os resultados apontados pelas urnas após a apuração dos votos neste domingo (02) divergiram das pesquisas eleitorais. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu 48,43% dos votos válidos, contra 3,20% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Publicidade

No sábado (1º), dia anterior ao primeiro turno das eleições, Lula tinha 50% das intenções de voto, de acordo com pesquisa Datafolha, enquanto Jair Bolsonaro aparecia com 36%.  Na pesquisa Globo/Ipec, o ex-presidente Lula apareceu com 51% e Bolsonaro com 37%.

“Os institutos vão ter que ir pro divã porque parece que não estão conseguindo captar esse movimento da direita, principalmente no Sudeste”, avalia o cientista político Renato Dolci ao comentar essa diferença, de acordo com a CNN.

A cientista política Nara Pavão, aponta que o contraste pode ser explicado pelo “voto útil”, em que o eleitor vota de forma estratégica, em um candidato que não é sua primeira opção, necessariamente. “Uma coisa que chama atenção de todos é a desidratação de Ciro. É possível que essa transferência de voto que estava prevista para ocorrer no segundo turno já tenha ocorrido no primeiro turno”, diz.

“Uma coisa que chama atenção de todos é a desidratação de Ciro. É possível que essa transferência de voto que estava prevista para ocorrer no segundo turno já tenha ocorrido no primeiro turno”, completa Nara.

Publicidade

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Messias Bolsonaro (PL) vão disputar o 2º turno para a Presidência da República 🇧🇷 Eles haviam recebido, respectivamente, 55.166.851 votos e 50.261.216 votos, até as 21h36 deste domingo (2/10): https://t.co/Q13dc3NsBP ⬅️ pic.twitter.com/QJsJG3iGG4

— TSE (@TSEjusbr) October 3, 2022

Publicidade