CABO DE GUERRA

Senadores da CPI da Covid vão ao STF contra pedido da PGR de arquivamento das investigações

Senadores pediram ao STF que a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araujo, fosse investigada por prevaricação

Senadores da CPI da Covid vão ao STF contra pedido da PGR de arquivamento das investigações
PGR diz que ações dos senadores tem cunho político (José Cruz/Agência Brasil)

Foi protocolado nesta terça-feira (26) um pedido dos senadores da CPI da Covid ao Supremo Tribunal Federal (STF), no qual se pede que seja aberto um inquérito por prevaricação contra a vice-procuradora-geral da Reública, Lindôra Araujo, autora da solicitação enviada pela PGR de arquivamento das investigações iniciadas pela CPI.

Publicidade

Na segunda-feira (25), Lindôra Araujo havia solicitado que 7 das 10 apurações contra Jair Bolsonaro (PL) fossem arquivadas. O argumento da vice-procuradora era de que as apurações tinham convicção política.

As apurações promovidas pelo relatório final da CPI da Covid que a PGR pediu arquivamento visavão investigar se Bolsonaro havia cometido crime de infração de medida sanitária durante a pandemia por promover aglomerações e evitar o uso de máscaras.

Os senadores Omar Azis (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Renan Calheiros (MDB-AL), Humberto Costa (PT-PE), Fabiano Contarato (PT-ES), Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Otto Alencar (PSD-BA) assinaram um documento entregue ao STF em que não só pedem que as apurações não sejam arquivadas, mas que o procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifesta diretamente e pessoalmente sobre o caso.

De acordo com os senadores, as ações de Aras e de Araujo são ‘claramente políticas’ e visam blindar o Governo Federal, além de acusarem a PGR de ser omissa. “O ilustre Procurador-Geral da República e seus asseclas parecem renunciar às suas verdadeiras atribuições constitucionais quanto à adoção de providências cabíveis em face de eventuais crimes comuns descobertos pela CPI da Pandemia e praticados pelo Presidente da República e por seus subordinados, sempre sob sua responsabilidade“, afirmam no documento.

Publicidade

A carta dos senadores da CPI também frisa que o pedido de arquivamento da PGR não seja atendido. “Solicita-se, desde logo, como forma de assegurar a não interrupção indevida das apurações preliminares, a não determinação de arquivamento dos procedimentos investigativos pelo Eg. STF e a determinação de sua cotinuidade, até que se conclua a apuração quanto aos fatos narrados neste pedido“, escreveram.

Segundo os senadores, em seu pedido, Lindora Araujo teria sido usado como uma ‘testa de ferro’ de Aras. “Requer-se que seja determinada a manifestação direta e pessoal do atual PGR, Antônio Augusto Brandão de Aras, quanto aos fatos descobertos pela CPI da Pandemia, a fim de impedir a atuação de sua testa de ferro nas referidas apurações.”

Publicidade