Jornalista morta pelo marido na BA foi atingida com tiros na cabeça e no tórax

O engenheiro Reges Amauri Krucinski, de 42 anos, foi preso em flagrante na noite do crime

Jornalista morta pelo marido na BA foi atingida com tiros na cabeça e no tórax
Em sua residência, o engenheiro tinha três armas, uma pistola calibre 380, um revólver 357, uma espingarda calibre 12 (Créditos: Reprodução / Redes Sociais)

Juliana de Freitas Alves, jornalista de 41 anos, foi morta a tiros pelo próprio marido na noite de Réveillon em Porto Seguro (BA), de acordo com informações da TV Santa Cruz, ela foi atingida por três tiros na cabeça e um no tórax.

Publicidade

O engenheiro Reges Amauri Krucinski, de 42 anos, foi preso em flagrante na noite do crime. A PM (Polícia Militar) foi acionada no local depois do crime, já que os vizinhos ouviram disparos dentro do condomínio, no bairro Xurupita.

“A PM recebeu informações, achou ele perto do portão de casa e foi dado o flagrante”, disse o delegado. O atirador ainda tentou tirar a própria vida após ter sido preso, se debatendo nas grades da delegacia.

Em sua residência, o engenheiro tinha três armas, uma pistola calibre 380, um revólver 357, uma espingarda calibre 12. Além de muitas munições e um abafador de tiros. Todas estavam registradas e documentadas, já que o suspeito praticava tiro esportivo.

Até a manhã desta terça-feira (4), Reges continuava preso na delegacia de Polícia Civil de Porto Seguro. Segundo o delegado Marcus Vinícius, ele ficou em silêncio durante o interrogatório à Polícia. Ainda não se sabe a motivação do crime.

Publicidade

“Eles residiam em São Bernardo do Campo, em São Paulo. A princípio, havia discordância sobre a mudança e isso pode estar relacionado ao crime, mas ainda não podemos confirmar”, explicou.

Até o momento, o engenheiro ainda não apresentou nenhum advogado de defesa, informou a corporação. O crime está sendo tratado como feminicídio .