assédio sexual

Juiz é acusado de assédio sexual de mulheres dentro de fórum trabalhista e nas redes sociais

As denúncias se estabeleceram após chegarem ao conhecimento do Me Too Brasil.

cnj-decide-investigar-e-afastar-juiz-marcos-scalercio-por-acusacao-de-assedio-sexual
Marcos Scalercio (Créditos: Reprodução/ TRT-19)

O juiz do trabalho de São Paulo, Marcos Scalercio, é acusado por ao menos dez mulheres de assédio sexual, entre 2014 e 2020. Além de juiz, ele também dá aulas de direito em um famoso cursinho preparatório para concursos públicos.

Publicidade

As denúncias se estabeleceram após chegarem ao conhecimento do Me Too Brasil, uma organização sem fins lucrativos que oferece assistência jurídica gratuita a vítimas de  violência sexual. Para formalizar as denúncias, três mulheres procuraram diretamente a ONG.

Scalercio é juiz substituto do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região e professor de direito material e processual do trabalho no Damásio Educacional. As denúncias foram levadas pelo Me Too Brasil ao Conselho Nacional do Ministério Público.

Atualmente, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília, e o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), em São Paulo, apuram três acusações de assédio sexual contra o juiz, respectivamente, nas esferas administrativa e criminal.

De acordo com o portal g1, as denunciantes, que não querem ser identificadas por temerem represálias, são: uma funcionária do TRT, uma advogada, uma estagiária de direito, seis alunas do cursinho Damásio à época, e uma professora de direito.

Publicidade

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por #MeTooBrasil (@brasilmetoo)

Publicidade