No Lollapalooza, banda Fresno ignora TSE e diz “fora Bolsonaro”

A cantora Anita, em suas redes sociais, se ofereceu para pagar as multas decorrentes de manifestações dos artistas do Lolla

No Lollapalooza, banda Fresno desrespeita TSE e diz "fora Bolsonaro"
O ministro Raul Araújo, determinou uma multa de R$ 50 mil por novas ocorrências (Créditos: Mauricio Santana/Getty Images)

Algumas horas depois da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um show deste domingo (27) no festival Lollapalooza houve uma manifestação eleitoral por parte da banda Fresno. No telão, a banda colocou “Fora Bolsonaro” e o vocalista Lucas Silveira gritou o mesmo no microfone.

Publicidade

Logo em seguida, o cantor Lulu Santos, que fez uma participação especial no show da Fresno, declarou: “Como disse a Carmen Lúcia, cala boca já morreu, quem manda na minha boca sou eu”.

O ministro Raul Araújo, nesta manhã atendeu a um pedido do PL da véspera e vetado atos que configurem propaganda eleitoral no evento, estabelecendo uma multa de R$ 50 mil por novas ocorrências.

Na decisão, o relator ressalta a Constituição Federal assegura a livre manifestação do pensamento, “a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”. Porém, os artistas mencionados no processo “fazem clara propaganda eleitoral em benefício de possível candidato ao cargo de Presidente da República”.

“Os artistas e cantores referidos que se apresentaram no evento musical em testilha, além de destilar comentários elogiosos ao possível candidato, pediram expressamente que a plateia presente exercesse o sufrágio em seu nome, vocalizando palavras de apoio e empunhando bandeira e adereço em referência ao pré-candidato de sua preferência”, diz o ministro no documento.

Publicidade

A cantora Anitta, em suas redes sociais, se ofereceu para pagar as multas decorrentes de manifestações dos artistas do Lolla. “Não existe de proibir um artista de expressar publicamente a infelicidade dele perante o governo o momento. Entendo a questão de fazer campanha política para candidato, cada um vota em quem quer, porém proibir a gente de expressar nossa insatisfação com o governo atual é censura. É mil novecentos e bolinha quando o povo não podia fazer nada. A gente não quer voltar para a estaca zero, pelo amor de Deus. Vou lutar com todas as minhas armas. Vai botar multa de não sei quanto? A gente paga, querido. Meus amigos que quiser [sic] se manifestar, pago a multa de vocês”, disse a artista.

Publicidade