Combate à Desinformação

TSE entra em acordo com Telegram contra as fake news

O objetivo maior do TSE junto às plataformas é impedir a disseminação de desinformação e a interferência de fake news sobre a integridade das eleições de outubro.

TSE entra em acordo com Telegram contra as fake news
A lisura das eleições também dependem destes canais de comunicação (Crédito: Carl Court/Getty Images)

Nesta terça-feira (17), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou um acordo com o aplicativo de mensagens Telegram para combater as fake news na plataforma. A parceria no combate contra a desinformação está oficializada até o dia 31 de dezembro de 2022.

Publicidade

Além de um robô que será criado pela empresa para tirar dúvidas de eleitores e marcar notícias como falsas, o acordo prevê a criação de um canal do TSE para divulgação oficial de qualquer conteúdo a respeito das eleições deste ano. Como informado pelo TSE, a parceria é a primeira do mundo que envolve ações concretas com a plataforma Telegram.

O aplicativo Telegram é amplamente utilizado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), visto que o presidente, em outras plataformas, tem muitos de seus conteúdos bloqueados ou marcados com o selo de fake news.

Além do Telegram, em fevereiro de 2022, o TSE firmou acordos com outras diversas plataformas de mensagens e de redes sociais: Twitter, WhatsApp, TikTok, Facebook, Google, Instagram, YouTube e Kawai. O Telegram foi o último a responder o TSE, e a decisão do acordo, por parte da empresa, só veio após a mesma sofrer um bloqueio de suas atividades no Brasil. O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, determinou a suspensão da plataforma em todo o país pelo não cumprimento de decisões tomadas pelo STF. O desbloqueio só veio após a adequação às regras constitucionais brasileiras.

 

Publicidade