Pink Floyd manda tirar músicas da Rússia e Belarus

(Crédito: Reprodução)


A banda britânica de rock Pink Floyd mandou retirar todas as músicas desde 1987 até as mais recentes das plataformas digitais da Rússia e de Belarus, país aliado dos russos. O mesmo vale para todo o catálogo do guitarrista David Gilmour

Publicidade

A medida foi tomada em solidariedade aos ucranianos. “Para apoiar o mundo em condenar fortemente a invasão da Ucrânia pela Rússia, as obras do Pink Floyd, de 1987 em diante, e todas as gravações solo de David Gilmour estão sendo removidas de todos os provedores de música digital na Rússia e em Belarus a partir de hoje”, explicou a banda no Twitter. 

Na semana passada, David Gilmour já tinha feito um apelo pelo fim da guerra nas redes sociais. Ele disse que tem uma nora ucraniana e que as netas querem conhecer o país. 

“Soldados russos, parem de matar seus irmãos. Não haverá vencedores nesta guerra. Minha nora é ucraniana e minhas netas querem visitar e conhecer seu lindo país. Parem com isso antes que tudo seja destruído. Putin deve ir”, escreveu o astro do rock. 

Publicidade

Entenda a guerra na Ucrânia

O presidente Vladimir Putin ordenou uma invasão na Ucrânia no dia 24 de fevereiro. Desde então, o exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país. 

Publicidade

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia e cercam importantes cidades portuárias como Kherson e Mariupol.

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Uma das demandas da Rússia nas negociações sobre a guerra é que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na OTAN e na União Europeia. Moscou também exige que Kiev reconheça a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano.

Putin argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin também diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.

Publicidade