Dólar fecha abaixo de R$ 5,10 após decisão do BC norte-americano

Essa foi a primeira queda após quatro altas seguidas. O recuo foi o mais expressivo desde o último dia 3, quando a cotação tinha caído 1,55%

A decisão do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) de elevar os juros gradualmente nos Estados Unidos trouxe alívio ao mercado financeiro global nesta quarta-feira (16). O dólar teve a maior queda em duas semanas e voltou a ser vendido abaixo de R$ 5,10. A bolsa de valores recuperou parte das perdas recentes e retomou os 111 mil pontos.

Publicidade

O dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,093, com queda de R$ 0,066 (-1,27%). A cotação operou próxima da estabilidade ou em baixa durante quase todo o dia, mas acelerou a queda após o Federal Reserve aumentar os juros básicos dos Estados Unidos em 0,25 ponto percentual, dissipando os receios de um aumento de 0,5 ponto.

Essa foi a primeira queda após quatro altas seguidas. O recuo foi o mais expressivo desde o último dia 3, quando a cotação tinha caído 1,55%. A moeda norte-americana acumula queda de 1,21% em março e 8,65% em 2022.

Ibovespa

No mercado de ações, o dia também foi marcado pelo alívio. Após quatro quedas seguidas, o índice Ibovespa, da B3, fechou aos 111.112 pontos, com alta de 1,98%. O indicador pegou carona nas bolsas americanas, que subiram após a divulgação do comunicado do Fed.

Na reunião de hoje, o Banco Central americano elevou os juros básicos para uma faixa entre 0,25% e 0,5% ao ano. Essa foi a primeira elevação desde 2018, após a taxa ficar praticamente zerada desde o início da pandemia de covid-19.

Publicidade

Em comunicado, o órgão informou que pretende fazer um ajuste gradual, mas consistente, com seis aumentos em 2022 e, pelo menos, mais três aumentos em 2023. A magnitude das elevações, no entanto, será discutida a cada reunião do Fed.

Apesar dos impactos econômicos da guerra da Ucrânia e de a inflação nos Estados Unidos estar no maior nível em 40 anos, a expectativa de um ajuste gradual agradou aos investidores. Um aumento de 0,5 ponto percentual estimularia a retirada de capital de países emergentes, como o Brasil. Por causa do horário de fechamento das negociações, o mercado ainda não refletiu a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central brasileiro, que também aumentou os juros básicos hoje.

Além da reunião do Fed, dois fatores internacionais contribuíram para manter a estabilidade no mercado financeiro global. Hoje, diplomatas russos e ucranianos anunciaram a elaboração de um plano de negociação de paz. Além disso, o governo chinês anunciou que pretende oferecer mais estímulos econômicos para compensar as medidas de lockdown em regiões do país por causa do avanço da variante Ômicron do novo coronavírus.

Publicidade

* Com informações da Reuters

(Agência Brasil)

Publicidade