Medalhista olímpico luta na guerra da Ucrânia

O atleta tem usado suas mídias sociais para pedir ajuda humanitária de todo o mundo

medalhista-olimpico-luta-na-guerra-da-ucrania
Horuna na guerra da Ucrânia. (Crédito: Reprodução)

Um carateca medalhista olímpico se juntou ao exército da Ucrânia na luta contra os russos na guerra. O governo ucraniano proibiu todos os homens de 16 a 60 anos de deixarem o país. Todos precisam se apresentar para ajudar o país. 

Publicidade

Foi o caso de Stanislav Horuna, de 33 anos, que deixou o tatame de lado para colocar o uniforme militar e ajudar nas missões. Horuma é considerado uma referência no Karatê na Ucrânia e foi medalhista de bronze nas Olimpíadas de Tóquio.

De acordo com o site Ge, depois de ser convocado pelo exército, ele deixou a família em países vizinhos e se apresentou às forças armadas. Horuma faz parte de uma unidade que procura por infiltrados russos na cidade de Lviv, uma das maiores do país, que fica perto da fronteira com a Polônia

O carateca tem usado suas mídias sociais para pedir ajuda humanitária de todo o mundo. Horuna disse ao Ge, que o povo ucraniano está muito grato pelo apoio que vem recebendo, mas que esperam que a pressão internacional continue para pôr fim à guerra.

Entenda a invasão da Rússia à Ucrânia

A Ucrânia foi invadida pela Rússia na quarta-feira (23). O exército russo avança pelas regiões da fronteira em direção às principais cidades ucranianas. Kiev e Kharkiv são os principais alvos das tropas russas. 

O exército russo também ganha terreno no litoral e já conquistou pelo menos uma cidade portuária. 

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. O presidente russo Vladimir Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização. 

Publicidade

O líder russo também argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.