Governo em crise

Renúncia coletiva de membros do governo contribui para crise de Boris Johnson

Até o momento chegam a 27 o número de membros do governo do Reino Unido que pediram para sair.

renuncia-coletiva-de-membros-do-governo-contribui-para-crise-de-boris-johnson
Boris Johnson (Créditos: Getty Images)

O britânico Boris Johnson tenta se agarrar ao poder, nesta quarta-feira (6), durante uma crise em seu governo, após a renúncia de uma série de colegas de alto escalão, que disseram que ele não estava apto para governar. Até o momento chegam a 27 o número de membros do governo do Reino Unido que pediram para sair.

Publicidade

Johnson tenta reafirmar sua autoridade em meio a crise, nomeando rapidamente Nadhim Zahawi como ministro das Finanças. Na manhã desta quarta-feira (6), quando o ex-secretário de Educação Zahawi se preparava para definir as prioridades do governo, ele foi confrontado com notícias de novas demissões.

Na noite desta terça-feira (5), os secretários de Finanças e de Saúde de Boris Johnson renunciaram os cargos após o último escândalo atingir o governo, provocando a saída de membros do governo e a retirada do apoio de legisladores leais. Com a série de demissões, alguns questionaram se o primeiro-ministro poderia preencher as vagas.

O nível de pressão que Johnson enfrenta dentro de seu partido é posto em evidência enquanto enquanto ele responde a perguntas no parlamento, nesta quarta (6), e, mais tarde, diante dos presidentes de comitês selecionados para um interrogatório de duas horas. “Suspeito que teremos que arrastá-lo chutando e gritando de Downing Street”, disse um parlamentar conservador à Reuters, falando sob condição de anonimato. “Mas se tivermos que fazer dessa maneira, então faremos”, completou.

Publicidade