MINISTRO NO PÂNICO

Guedes diz que corrupção sistêmica “desabou” com Bolsonaro

Ministro diz que ainda não está satisfeito e que corrupção pode voltar a qualquer momento.

Para Guedes, economia do Brasil é intervencionista e tem muitas estatais (Créditos: Andressa Anholete/Getty Images)

Em entrevista para o programa Pânico, o ministro da economia Paulo Guedes disse nesta quarta-feira (28) que a corrupção sistêmica “desabou” no governo de Jair Bolsonaro (PL). Guedes afirmou R$220 bilhões foram perdidos por má gestão em outros governos.

Publicidade

Eu sinceramente acho que está melhorando. Eu vejo um aperfeiçoamento. Por exemplo: o buraco era de R$ 220 bilhões. Agora está se discutindo uma possível corrupção no Orçamento que foi muito secreto”, afirmou.

Guedes continuou a entrevista afirmando que “muitas estatais” no Brasil abrem brecha para a volta da corrupção após o governo Bolsonaro. “A corrupção sistêmica desabou. Aí você diz: Você está satisfeito?. Eu digo: Não. Pode voltar a qualquer momento. Está cheio de estatal por enquanto“, disse o ministro.

As críticas de Guedes se estenderam para o modelo econômico do Brasil, que ele chamou de intervencionista.

É a economia intervencionista que corrompe tudo. Ela vai corrompendo tudo. O empresário sabe que, se ele acampar em Brasília e conseguir aquela lei particular, o negócio dele vira o maior do Brasil. E ao contrário: se ele perder, é o pior do Brasil.

Publicidade

Em contrapartida, o ministro minimizou possíveis casos de corrupção nas emendas de relatores presentes no orçamento secreto. Segundo ele, as emendas somam R$16 bilhões, portanto se a corrupção ocorrer na faixa dos 20%, ela é de menor magnitude. Ainda assim, Guedes disse que “tem que olhar” para averiguar a transparência deste dinheiro.