1º Turno

Miguel Reale Jr., autor do pedido de impeachment de Dilma, diz em quem vai votar

O advogado teme uma “ação desesperada” de Jair Bolsonaro (PL).

Miguel Reale Jr., autor do pedido de impeachment de Dilma, declara voto em Lula
Jurista Miguel Reale Jr. em discurso na tribuna do Senado Federal (Crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O advogado e ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. desistiu de buscar uma terceira via e declarou apoio ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno. O advogado foi um dos autores do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT).

Publicidade

Em uma mensagem enviada ao jornal Estadão, Miguel Reale Júnior afirma que o voto em Lula é para “impedir ação desesperada” do atual presidente Jair Bolsonaro (PL):

“Sem perspectiva de vitória da terceira via, é importante que Lula vença no primeiro turno, para se impedir ação desesperada de Bolsonaro. Decidir por Lula é consequência de saber que assim se evitará ataques à democracia, à dignidade da pessoa humana e ao meio ambiente, que, com certeza, sucederão com maior intensidade em novo mandato de Bolsonaro”, disse o jurista.

Também procurada pelo Estadão, a deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB), que assinou o mesmo pedido de impeachment que Reale Jr., disse que “imaginava” que o jurista seguiria neste caminho:

“Pela resistência do professor em ingressar no processo de impeachment e pelos pleitos que fez para eu desistir, eu já imaginava que ele fecharia com Lula. (…) A chance de a esquerda voltar é real, até por isso me candidatei ao Senado.”

Publicidade

Por outro lado, a deputada federal e presidente do PT Gleisi Hoffmann destacou a “importância” do gesto de apoio de Miguel Reale Jr. à campanha de Lula:

“Nós temos várias pessoas que participaram daquele processo de impeachment e que hoje avaliam que aquilo foi um erro e que realmente teve problema com a democracia”, afirmou.

Publicidade