DEMOCRACIA?

“Quem quer ser democrata não tem que assinar cartinha”, diz Bolsonaro à banqueiros sobre carta da USP

Presidente criticou a mídia por elogiar políticos que assinaram a carta.

Bolsonaro também chamou Lula e STF de antidemocráticos (Créditos: Andressa Anholete/Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar e diminuir a carta em defesa ao estado democrático de direito nesta segunda-feira, chamando-a de ‘cartinha’ em reunião com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Publicidade

Segundo Bolsonaro, o objetivo do manifesto seria “voltar o país nas mãos dos que fizeram uma ofensa conosco“, em referência ao PT.

O presidente criticou a abordagem da mídia sobre o documento e o teor político das assinaturas. “Esse burburinho da democracia. ‘Ah, o Bolsonaro não é democrata. O outro lado é democrata’. Tanto é que, segundo a imprensa, Lula acabou de assinar a carta pró-democracia. Fotografia linda, do lado da esposa“, afirmou.

As críticas se estenderam para o ex-presidente Lula (PT), com Bolsonaro o acusando de ser antidemocrático por simpatizar com o regime da Venezuela. Além do petista, o STF também entrou na mira da fala do presidente.

Qual regime forte é meu? me aponte uma palavra minha contra a democracia. Eu mandei prender algum deputado?“, disse Bolsonaro.

Publicidade

A Febrabran é signatária de um manifesto semelhante escrito pela FIESP em defesa à democracia.

O discurso de Bolsonaro veio duas semanas após o presidente acusar a carta da USP de ser uma forma dos bancos ‘se vingarem’ dele pelo pix.

Publicidade