Eleições 2022

Confira os patrimônios declarados por candidatos à Presidência

Os valores informados até agora, segunda-feira (8), variam entre R$ 197 e R$ 24,6 milhões.

Confira os patrimônios declarados por candidatos à Presidência
Os registro das candidaturas junto ao TSE podem acontecer até 15 de agosto (Crédito: Antonio Augusto/Secom/TSE/Flickr)

A partir deste domingo (7), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a divulgar os patrimônios dos candidatos à Presidência da República que já oficializaram os registros de candidatura. Os valores informados até agora, segunda-feira (8), variam entre R$ 197 e R$ 24,6 milhões.

Publicidade

Por enquanto, sete candidaturas foram registradas no TSE. A data limite para o registro é dia 15 de agosto. Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PL) já tiveram seus nomes definidos por seus partidos, porém ainda não registraram candidatura no TSE e, portanto, não aparecerão nesta lista.

Felipe D’Avila (Novo) é o candidato que apresentou o maior patrimônio. O cientista político e empresário declarou à Justiça Eleitoral um total de R$ 24,6 milhões em bens. Felipe D’Avila tem uma casa de R$ 2,3 milhões e investimentos que somam aproximadamente R$ 17,3 milhões.

Léo Péricles (Unidade Popular) apresentou o menor valor entre os candidatos já registrados no TSE. O presidenciável tem um investimento de R$ 197,31 na caderneta de poupança. Sua vice, a servidora pública Samara Martins (UP), tem R$ 3.364,55 em bens.

O candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou um patrimônio de R$ 7,4 milhões em bens, o que inclui um apartamento de R$ 94.571,25 e R$ 5,5 milhões em previdência privada. Seu vice, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), informou possuir R$ 1 milhão em bens.

Publicidade

A senadora Simone Tebet (MDB) informou à Justiça Eleitoral que tem R$ 2,3 milhões em bens. A maior parte dos bens estão divididos entre apartamentos e terrenos. Mara Gabrilli (PSDB), também senadora e vice na chapa de Tebet, declarou R$ 12,8 milhões.

A candidata do PCB, a economista e professora Sofia Manzano, registrou ter R$ 480 mil em bens. O seu vice, o jornalista Antônio Alves (PCB), declarou ao TSE R$ 13,3 mil em bens, sendo R$ 12 mil relativos a um veículo que possui.

A socióloga Vera Lúcia (PSTU), informou um patrimônio de R$ 8.805. A ativista indígena Raquel Tremembé (PSTU), vice na chapa, declarou que não possui bens em seu nome.

Publicidade

Os candidatos que ainda não tiveram seus patrimônios divulgados não oficializaram o registro no TSE.

 

Publicidade