Pivô da Lava-Jato

Paulo Roberto Costa, 1º delator da Lava-Jato, morre aos 68 anos

O ex-diretor da Petrobras cumpria a sua pena em liberdade, por conta de um acordo de delação e colaboração com a Lava-Jato.

Paulo Roberto Costa, delator da Lava-Jato, morre aos 68 anos
Paulo Roberto Costa foi o 1º delator da Lava-Jato (Crédito: Reprodução/TV Câmara)

O engenheiro e ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, de 68 anos, morreu neste sábado (13), no Rio de Janeiro, vítima de um câncer. Costa havia sido condenado a mais de 70 anos de prisão pelos processos relacionados à Operação Lava-Jato, no Paraná.

Publicidade

O ex-diretor da Petrobras cumpria a sua pena em liberdade, por conta de um acordo de delação e colaboração com a Lava-Jato. Paulo Roberto foi preso em 2014, quando a operação foi deflagrada, conseguiu um habeas corpus, mas logo depois voltou ao cárcere.

Sua história na Petrobras começou em 1997, quando passou em um concurso para trabalhar na petroleira. Costa, em 2004, atuou como diretor da estatal, após indicação do ex-deputado federal José Janene (PP), falecido em 2010. Paulo Roberto Costa permaneceu no cargo até o ano de 2012, quando se demitiu e abriu uma empresa de consultoria.

Em seu acordo de colaboração, o ex-diretor da Petrobras aceitou devolver o dinheiro desviado que mantinha na Suíça. Devolveu cerca de R$ 80 milhões.

 

Publicidade