‘Serão as mais sujas e sórdidas campanhas eleitorais da história do país’, diz João Doria sobre eleições de 2022

Governador de São Paulo, que é pré-candidato a presidente da República pelo PSDB, falou sobre o cenário eleitoral do país no programa Conversa com Bial, na noite de quinta-feira (9)

'Serão as mais sujas e sórdidas campanhas eleitorais da história do país', diz Doria sobre eleições de 2022
Doria disse que seu arrependimento com Bolsonaro ocorreu bem antes do início da pandemia de Covid-19 (Crédito: Governo do Estado de São Paulo)

O governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência pelo PSDB, João Doria, disse que as campanhas eleitorais de 2022 serão as “mais sujas e sórdidas” da história do país, principalmente por conta das redes sociais.

Publicidade

João Doria ressaltou que extremistas gostam de intimidar e humilhar profissionais da imprensa, principalmente mulheres, e adversários políticos e que isso pode ser recorrente nas eleições de 2022.

Durante a entrevista, João Doria voltou a dizer que é contra reeleições eleitorais e que defende um mandato presidencial de 5 anos, e que as campanhas eleitorais de 2022 serão as ”mais sujas e sórdidas” da história do país.

Ele também disse que “o Brasil ainda não está preparado para ter reeleição” porque os políticos assumem os mandatos pensando na reeleição quando deveriam se concentrar na eficiência da gestão da administração pública, segundo G1.

Desde que foi eleito prefeito da cidade de São Paulo, em 2016, Doria já dizia ser contra as reeleições. Após vencer e assumir o cargo de prefeito, concorreu ao cargo de governador nas eleições seguintes, deixando seu vice, o prefeito Bruno Covas (PSDB) em seu lugar.

Publicidade

Sobre seu ex-aliado e padrinho político, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), com quem rompeu nas últimas eleições após apoiar a eleição do atual presidente Jair Bolsonaro, Doria diz que respeita a posição de Alckmin sobre uma posição formação de chapa com o ex-presidente Lula. No entanto, disse ser contra o governo petista se eleger em 2022.

Publicidade