Ucrânia corta parcialmente a passagem de gás russo para a Europa

O oleoduto em questão carrega o equivalente a um terço de todo o gás russo que vai para a Europa.

Ucrânia corta parcialmente a passagem de gás russo para a Europa
O combustível russo é, talvez, a questão mais delicada para a Europa envolvendo todo o conflito (Crédito: Sean Gallup/Getty Images)

Nesta quarta-feira (11), a Ucrânia cortou, parcialmente, o fornecimento de gás russo para a Europa, colocando em risco a segurança energética de alguns países do continente. Segundo a empresa estatal ucraniana de energia, GTSOU, o fornecimento foi interrompido pois tropas russas supostamente danificaram os oleodutos.

Publicidade

O oleoduto danificado carrega o equivalente a um terço de todo o gás russo que vai para a Europa, o que dá aproximadamente 32,6 milhões de metros cúbicos de combustíveis. Segundo especialistas, se o fornecimento for cortado totalmente implicará numa séria crise de preços e de inflação.

A União Europeia (UE), desde o início do confronto entre Rússia e Ucrânia, busca mercados alternativos para não depender somente do gás russo. O Brasil, com o pré-sal, entra como uma das maiores alternativas para a compra de combustíveis no mercado internacional. A Ucrânia, que recebe uma taxa pelo transporte do gás russo para países europeus, está trabalhando para o reestabelecimento do serviço. Esse corte energético é o maior desde o início da guerra, em 24 de fevereiro.

Publicidade

 

 

 

Publicidade