Custo de Vida

Governo reduz em 10% impostos sobre produtos importados do Mercosul

Alguns produtos ficaram de fora da lista, tais como calçados, brinquedos, têxteis, lácteos e alguns insumos utilizados no setor automotivo.

Governo reduz em 10% impostos sobre produtos importados do Mercosul
Com a inflação em alta, o governo visa diminuir o peso no bolso dos brasileiros (Crédito: Spencer Platt/Getty Images)

Nesta segunda-feira (23), o governo brasileiro anunciou mais uma redução de 10% sobre os impostos de grande parte dos produtos importados do Mercosul. Ao todo, mais de 6.000 itens estão na lista. Arroz, feijão, carnes, massas e materiais de construção estão entre estes produtos. A decisão começa a valer em 1º de junho e vigorará até o dia 31 de dezembro de 2023.

Publicidade

Conforme informado pelo governo, a medida visa “reduzir os impactos decorrentes da pandemia e do conflito na Ucrânia sobre o custo de vida da população e preços de insumos para o setor produtivo”.

Em nota, o Ministério da Economia ressaltou que uma medida parecida já foi tomada em novembro de 2021, numa decisão unilateral do Brasil, quando reduziu impostos sobre códigos tarifários da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM).

“Assim, somando-se a nova iniciativa à medida anterior, mais de 87% dos códigos tarifários da NCM tiveram a alíquota reduzida para 0%, ou reduzida num total de 20% (…) A nova redução foi aprovada na 1ª reunião do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) de 2022, em caráter temporário e excepcional, e irá contribuir para o barateamento de quase todos os bens importados, beneficiando diretamente a população e as empresas que consomem esses insumos em seu processo produtivo. A Resolução Gecex, que regulamenta a medida, será publicada no Diário Oficial da União amanhã (24/05).”

Publicidade

Alguns produtos importados ficaram de fora da lista, tais como calçados, brinquedos, têxteis, lácteos e alguns insumos utilizados no setor automotivo.

 

Publicidade