inflação americana

Banco Central dos EUA sobe juros em 0,75 e prevê novas altas

É a quarta vez este ano que os juros são elevados.

O Banco Central dos EUA (Federal Reserve) anunciou nesta quarta-feira (27) um novo aumento de 0,75 ponto percentual da sua taxa de juros, elevando a meta máxima para 2,5% ao ano. É a quarta vez este a
O presidente do Conselho do Federal Reserve, Jerome Powell, fala durante uma entrevista coletiva após aumento da taxa de juros (Créditos: Drew Angerer/Getty Images)

O Banco Central dos EUA (Federal Reserve) anunciou nesta quarta-feira (27) um novo aumento de 0,75 ponto percentual da sua taxa de juros, elevando a meta máxima para 2,5% ao ano. É a quarta vez este ano que os juros são elevados.

Publicidade

Após o aumento, o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) indicou que deve continuar elevando a taxa nas próximas reuniões. “A inflação permanece elevada, refletindo desequilíbrios entre oferta e demanda relacionados à pandemia, preços mais altos de alimentos e energia, e pressões mais amplas sobre os preços”, disse o Fomc.

Reflexos no Brasil

A decisão do Banco Central dos EUA tende a se refletir em alta na cotação do dólar por aqui, uma vez que há saída da moeda do país, buscando a melhor remuneração lá fora.

Os efeitos no Brasil, no entanto, também pode ser de longo prazo: a alta de juros nos EUA indica uma desaceleração da economia mundial nos próximos meses, já que os empréstimos e investimentos ficam mais caros.

Publicidade