surpresa no raio-x

Gato entra em mala de passageiro e é descoberto no raio-x do aeroporto

Animal não pertencia ao passageiro, e entrou na mala de forma clandestina.

gato-entra-em-mala-de-passageiro-e-e-descoberto-no-raio-x-do-aeroporto
(Crédito: Reprodução/ Twitter)

Oficiais da Agência de Segurança dos Transportes dos Estados Unidos (TSA) do aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova Iorque, ficaram chocados ao encontrar um gato dentro de uma mala que seria despachada. O caso foi registrado em um voo com destino para a cidade de Orlando, Flórida.

Publicidade

Durante uma inspeção via raio-x , os agentes identificaram objetos como garrafas e calçados, mas perceberam também que um gato estava sendo transportado. Segundo disse Lisa Farbstein, porta-voz da TSA, em um comunicado ao The Post, o agente ficou “chocado” ao encontrar o animal na bagagem que já havia sido despachada e radiografada. O dono da mala não sabia que o felino estava lá.

Quando chamado para dar explicações sobre a presença felina na bagagem, o passageiro alegou que o animal “não era dele, e sim de outra pessoa da pensão”. A suspeita é que o gato tenha entrado na mala sem ser notado pelo homem. O viajante perdeu o seu voo, mas conseguiu remarcá-lo para o dia seguinte, mas, dessa vez, sem o gato.

Em uma postagem pelo Twitter, a agência compartilhou registros da apreensão. É possível observar um formato incomum no raio-x, que acabou se confirmando como um felino quando os seguranças abriram o zíper da bagagem: é possível ver pelos amarelados saindo por uma pequena fresta.

O jornal americano New York Post conseguiu localizar a dona do gato, chamado “Smells”. Alix disse que estava no trabalho e que não tinha notado a ausência do animal até receber uma ligação das autoridades. A TSA questionou se ela “desejava prestar queixas” contra o passageiro, além de perguntar se haveria motivos para ele “tentar roubar o gato e ir para a Flórida”.

Publicidade

Em seguida, o noivo de Alix foi até o aeroporto e buscou o animal, que retornou bem para casa. “Eu estava preocupada de que Smells estivesse assustado, mas ele nem mesmo miou no caminho de volta”, disse ao New York Post. “Eu lhe dei alguns petiscos extras e ele agiu como se nada tivesse acontecido”, finaliza.