tentativa de assassinato

Marcha em apoio a Cristina Kirchner é organizada na Plaza de Mayo

A manifestação foi organizada pela coalizão de apoio ao governo de Alberto Fernandez, denominada ‘Frente de Todos’.

marcha-em-apoio-a-cristina-kirchner-e-organizada-na-plaza-de-mayo
Manifestantes na Plaza de Mayo se solidarizam com Cristina Kirchner (Créditos: Tomas Cuesta/Getty Images)

A coalizão de apoio ao governo argentino de Alberto Fernández, denominada ‘Frente de Todos’, organizou nesta sexta-feira (2) uma marcha em apoio a vice-presidente do país, Cristina Kirchner, que sofreu uma tentativa de assassinato na noite de ontem (1). Devido a grande repercussão do acontecimento, Fernandez declarou feriado e suspensão das atividades oficiais em todo país.

Publicidade

Através das redes sociais, o grupo convocou a mobilização a partir das 12h no cruzamento da ‘Avenida de Mayo’ com a ‘9 de Julio’. Mais tarde, os manifestantes irão para a a Casa Rosada, sede do Executivo argentino em Buenos Aires.

Os ministros argentinos também confirmaram presença na manifestação em solidariedade a Cristina Kirchner. A decisão foi tomada após uma reunião com o presidente Alberto Fernández para analisar as repercussões do ataque.

Confira detalhes do atentado

Na noite desta quinta-feira (1), enquanto Cristina cumprimentava a militância de seu partido na porta de seu apartamento, um brasileiro de 35 anos apontou uma arma calibre 38 para o rosto da vice-presidente. Segundo relatos, o homem puxou o gatilho, mas não funcionou. Ele foi identificado como Fernando Andrés Sabag Montiel.

Segundo a Polícia Federal da Argentina, especula-se que a bala não saiu por causa do dispositivo que evita disparos acidentais. Ou ainda por causa de falha na pistola ou no projétil, por serem antigos e estarem sem cuidados. A pistola, modelo Bersa Thunder 32, parou de ser fabricada em 2012, mas ainda há peças de reposição.

Publicidade

 

Publicidade