Prefeito de Bucha diz que russos não serão perdoados pelas atrocidades na Ucrânia

Anatoliy Fedoruk, disse que “metade da cidade está destruída” e que trabalha para identificar corpos das vítimas de civis

O prefeito de Bucha, Anatoliy Fedoruk, após o surgimento de imagens de corpos de civis espalhados pelas ruas da cidade, disse à jornalista da CNN Brianna Keilar, por meio de um tradutor na manhã desta segunda-feira (4) que “não perdoaremos os russos pelas atrocidades que aconteceram aqui”. Ele disse que “metade da cidade está destruída” e que está ocupada fazendo a transição de uma “situação de guerra para uma vida pacífica”.

Publicidade

Eles trabalham para identificar de quem são os corpos que foram mortos, os quais o prefeito afirma terem sido “assassinados indiscriminadamente pelos invasores russos. Muitos eram idosos.”

“Temos a impressão de que os invasores russos ganharam um sinal verde de Putin e Shoigu, o ministro da Defesa da Rússia, para fazer um safari na Ucrânia, e não conseguiram tomar Kiev, então descontaram sua frustração em Bucha e nas áreas ao redor”, disse o prefeito.

Na cidade, ficaram cerca de 3 mil pessoas, que normalmente tem uma população de aproximadamente 500 mil, após uma invasão, segundo o prefeito, que também decidiu ficar. Eles foram “testemunhas de eventos horríveis”.

Fedoruk observou que muitos adolescentes e crianças foram vítimas dos ataques russos, apesar de “não representarem ameaça” para as tropas da Rússia. “É impossível não ver que eram crianças, não ver que uma mãe está carregando um filho”, disse ele à CNN.

Publicidade

Ele disse que ainda pode-se esperar ver o mesmo tipo de imagem das atrocidades de Kiev a Mariupol, todos os lugares onde os russos entraram, acrescentando que o Putin descreveu como “desnazificação” é na verdade a “deumanização dos ucranianos”.

Publicidade