Presidente da Ucrânia diz que Rússia tentará tomar Kiev

Volodymyr Zelensky admite que poderia desistir de entrada na Otan e Vladimir Putin chegou a dizer que estava disposto a negociar.

Presidente da Ucrânia diz que Rússia tentará tomar Kiev
Presidente ucraniano afirma que Exército russo prepara ofensiva final para tomar a capital (Créditos: Getty Images)

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou nesta sexta-feira, 25, que o Exército da Rússia prepara uma ofensiva final para tomar a capital, Kiev. A declaração foi feita após um dia de suposta disposição dos dois lados para negociações.

Publicidade

“Não podemos perder a capital. O inimigo vai usar todas as suas forças para romper nossas defesas da maneira mais vil, dura e desumana. Vão tentar um ataque”, disse Zelensky em um vídeo publicado no site da Presidência ucraniana.

Acuado pela investida russa na capital, Zelensky já havia feito dois pronunciamentos nesta sexta-feira pedindo negociações ao governo russo. Ele chegou a afirmar que seu País poderia adotar um “status neutro”, o que significaria o abandono da ambição de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O Kremlin afirmou que o presidente Vladimir Putin está disposto a enviar uma delegação a Minsk, capital de Belarus, para negociações. Porém não ficou claro qual será a postura do governo russo.

Vladimir Putin está disposto a enviar uma delegação russa de alto nível para Minsk para negociações com uma delegação ucraniana”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, a agências russas de notícias.

Publicidade

Após isso, Peskov afirmou que os ucranianos propuseram que as negociações ocorram em Varsóvia (na Polônia), e não em Minsk. Porém que os contatos entre as duas partes agora estão “em pausa”. E o porta-voz da Ucrânia declarou que os dois lados seguem conversando sobre o local e a data das reuniões. E também que Kiev está disposta a conversar sobre “paz” e um “cessar-fogo”. Já em uma reunião televisionada do Conselho de Segurança russo, Putin pediu aos militares ucranianos que derrubem Volodymyr Zelensky, porque dessa forma “seria mais fácil negociar“.

Apelo mais uma vez aos militares das Forças Armadas da Ucrânia: não permitam que neonazistas usem seus filhos, mulheres e idosos como escudos humanos”, disse Putin.

E pediu ainda um golpe militar: “Tomem o poder em suas próprias mãos. Parece que assim será mais fácil para nós chegarmos a um acordo do que com essa gangue de drogados e neonazistas“.

Publicidade

*este texto contém informações retiradas do site O Globo

Publicidade