Rússia diz que a Ucrânia encenou assassinato em Bucha

O ministério de Defesa da Rússia, disse que eventos parecidos, já foram organizados por serviços especiais ucranianos

russia-diz-que-a-ucrania-encenou-assassinato-em-bucha
Dmitry Peskov (Crédito: Grigoriy Sisoev/Host Photo Agency via Getty Images)

O ministério de Defesa da Rússia disse que serviços especiais da Ucrânia encenaram o assassinato em Bucha. Para eles os ucranianos tentaram espalhar propaganda pela mídia ocidental. De acordo com a CNN, o ministério afirmou “soldados do 72º Centro Principal de Operações Psicológicas da Ucrânia realizaram outra filmagem encenada de civis supostamente mortos pelas ações violentas das forças armadas russas”.

Publicidade

Além disso, o ministério relatou que eventos parecidos já foram organizados por serviços especiais ucranianos em Sumy, Konotop e outras cidades. Até o momento, a Rússia nega ser responsável pelo assassinato em Bucha. Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, as alegações são falsas com o objetivo de difamar o exército russo. “É uma falsificação com o objetivo de difamar o exército russo, e não vai funcionar”.

O porta-voz do Kremlin, Peskov também comentou sobre a postura de Joe Biden em relação ao presidente Vladimir Putin. O presidente dos Estados Unidos afirmou que Putin deve ser julgado por crimes de guerra. Peskov disse que essas observações eram inaceitáveis de um líder dos EUA.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu a Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças, Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Um dos motivos desta invasão é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente, sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

“A Rússia está travando uma guerra cruel e implacável, também contra a população civil da Ucrânia. Precisamos manter a máxima pressão neste ponto crítico. Por isso, hoje propomos um 5º pacote de sanções.”

Publicidade

*Este texto contém informações retiradas da CNN Brasil.