escalada de violência

Dois em cada três brasileiros temem agressões por motivações políticas

Episódios de violência recentes mostram que discussões e divergências políticas acabaram em tragédia.

dois-em-cada-tres-brasileiros-temem-agressoes-por-motivacoes-politicas
Marcelo Arruda foi morto pelo bolsonarista Jorge José Guaranho (Crédito: Reprodução/Instagram)

O Instituto Datafolha mostrou nesta quinta-feira (15) que dois em cada três brasileiros (67,5%) afirmam ter medo de serem agredidos fisicamente em razão de sua posição política.

Publicidade

Na pesquisa, 3,2% dos entrevistados dizem ter sido vítimas de ameaças, por motivos políticos, apenas no último mês. O levantamento foi feito entre 3 e 13 de agosto, e ouviu 2,1 mil pessoas.

Episódios de violência recentes mostram que discussões e divergências políticas acabaram em tragédia. Um dos casos ocorreu em Foz do Iguaçu (PR), no dia 9 de julho de 2022. O guarda municipal Marcelo Arruda comemorava 50 anos de vida, em uma festa com a temática do PT, quando o policial penal federal Jorge Guaranho invadiu o espaço e o assassinou a tiros, depois de gritar “Aqui é Bolsonaro!”

Em Confresa (MT), no dia 8 de setembro deste ano, outro episódio que ganhou repercussão. Um jovem matou o próprio colega de trabalho com 17 facadas após uma discussão política. A vítima era defensora do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e quase foi decapitada com golpes de machado.

O terceiro ocorreu em São Paulo, no último dia 9, mas sem consequências trágicas. O candidato a deputado federal pelo PSOL, Guilherme Boulos, afirmou, nas redes sociais, ter sido vítima de uma ameaça por um apoiador do presidente. Um homem que recusou o panfleto da campanha do candidato fez menção a Bolsonaro e afirmou estar armado.

 

Publicidade

 

 

Publicidade