Eleições 2022

Vou tapar o nariz e votar em Bolsonaro, diz Weintraub

Ex-ministro da Educação disse que votará ciente do que “aquela família representa”.

vou-tapar-o-nariz-e-votar-em-bolsonaro-diz-abraham-weintraub
Abraham Weintraub (Créditos: Andressa Anholete/Getty Images)

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub (PMB), disse nesta terça-feira (2) que votará ”com o nariz tampado” em Jair Bolsonaro (PL) para à Presidência da República. A declaração foi dada em entrevista ao jornal Metrópoles.

Publicidade

“Vou tapar o nariz, porque não anulo voto, e vou votar no Bolsonaro, mas sabendo o que ele é, o que aquela família representa. No 2º turno, a mesma coisa.”

Weintraub ainda afirmou que nunca votou no PT e disse que o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, ”não é tão ruim quanto o PT, mas muito próximo”. 

O ex-ministro da Educação, que já foi um dos principais expoentes do bolsonarismo dentro do Planalto, disse ainda que não irá pedir voto em Bolsonaro ou recomendar que se vote no presidente. “Eu odeio ladrão, odeio corrupto, tenho nojo dessas pessoas. Começou a ter fortes indícios de corrupção e sinais de enriquecimento de membros da família Bolsonaro”, declarou.

“A porrada que mais me machucou foi quando eu vi a casa de Flávio Bolsonaro e do Renan Bolsonaro. O grande tapa na cara foi a viagem que o Flávio fez para Mônaco para assistir o Grande Prêmio da F1.” 

Publicidade

Publicidade

Candidatura de Weintraub

Weintraub anunciou no domingo (31) que não vai concorrer ao governo de São Paulo nas eleições de outubro. Durante a convenção do PMB, o ex-ministro disse que ele e seu irmão, Arthur Weintraub, serão candidatos a deputado federal.

“Assim, a gente consegue não somente eleger a mim e a meu irmão. Se eu conseguir 1 milhão [de votos] e Arthur conseguir 350.000 e mais 2 candidatos com nosso perfil, a gente elege 4 ou 5 deputados”, falou o ex-ministro ao Metrópoles. “Eu acho factível. Com isso, a gente se viabiliza como uma liderança para defender os valores conservadores e de direita que estão sendo abandonados.”

 

Publicidade

 

 

 

Publicidade