Salvo por alguns centímetros

Carro invade loja e cliente sai apenas com alguns arranhões

De acordo com Paulo César, proprietário da loja de aluguel de roupas e trajes finos, o condutor do veículo era um senhor, que perdeu o controle da direção.

cliente-e-atingido-de-raspao-apos-carro-invadir-loja-na-zona-oeste-do-rio
Momentos antes do veículo atingir o estabelecimento (Créditos: Reprodução/ Redes Sociais)

Um carro desgovernado invadiu uma loja em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (4). Um homem que abria a porta de vidro do estabelecimento foi atingido de raspão, mas escapou do acidente apenas com arranhões.

Publicidade

De acordo com Paulo César, proprietário da loja de aluguel de roupas e trajes finos, o condutor do veículo era um homem, que perdeu o controle da direção. O prejuízo ficou em torno de R$ 13 mil.

Wanderson Nascimento, de 48 anos, mais conhecido como Dinho, havia estacionado seu carro em frente ao estabelecimento e entrava na loja para entregar um vestido alugado por sua prima, quando foi atingido de raspão pelo carro.

“Com certeza foi um susto tremendo. Na hora de adentrar, eu não ia olhar, escutei o barulho, quando coloquei a mão na porta, dentro do meu espírito, Deus falou assim: olha pra trás. Foi na hora que eu olhei, que olhei e o carro já estava bem em cima, eu dei um passo pra frente. Ele ainda me pegou pelo lado e me jogou dentro da loja. E foi Deus. Se não fosse Deus na minha vida, hoje estaria com dois dias de morto”, diz Wanderson.

Nas imagens, é possível ver ao fundo o carro branco que Dinho havia acabado de estacionar, que também escapou por pouco de ser atingido pelo carro desgovernado. Dinho ficou com arranhões na perna e dores no corpo, mas sem ferimentos graves.

Publicidade

O condutor do carro teve alguns ferimentos e foi atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) que fica em frente à loja. Ainda de acordo com Paulo César, no momento do ocorrido, ele estava na parte de cima da loja e ouviu um estrondo.

Nesta terça-feira (5), o estabelecimento funcionou normalmente, mas com tapumes, de modo improvisado, até que tudo seja consertado. A família do motorista procurou o proprietário da loja e disse que vai pagar o prejuízo.

Publicidade