Netflix é processada por assinantes russos após suspensão do serviço no país

Plataforma de streaming interrompeu suas atividades na Rússia em março

netflix-e-processada-por-assinantes-russos-apos-suspensao-do-servico-no-pais
Netflix suspendeu atividades na Rússia em março (Crédito: Canva Fotos)

Assinantes russos da Netflix processaram a plataforma por suspenderem o serviço no país, solicitando um valor de 60 milhões de rublos (cerca de US$ 726 mil) em compensações. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (13) pela agência de notícias russa RIA.

Publicidade

Em forma de boicote à invasão russa na Ucrânia, a Netflix anunciou em março que suspenderia seus serviços na Rússia e interromperia todos os seus projetos futuros no país, como a série “Zato”. Outras empresas estrangeiras também anunciaram o fechamento de lojas e fábricas na Rússia desde que Vladmir Putin iniciou o ataque contra o país vizinho, em 24 de fevereiro.

“Hoje, um escritório de advocacia representando os interesses dos usuários da Netflix moveu uma ação judicial contra a Netflix em conjunto com a corte de Moscou do distrito de Khamovnicheski”, escreveu a agência de notícias em referência ao escritório Chernishov, Lukoianov & Partners, autor do processo.

“O motivo do processo foi a violação dos direitos dos assinantes russos devido à recusa unilateral por parte da Netflix em providenciar seus serviços na Rússia”, acrescentou a reportagem.

Entenda a invasão da Rússia na Ucrânia

O presidente Vladimir Putin ordenou uma invasão na Ucrânia, na quinta-feira (24). Desde então, o exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país.

Publicidade

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia. Pelo menos uma cidade portuária, Kherson, já foi tomada por eles.

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Uma das demandas da Rússia nas negociações sobre a guerra é que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na OTAN e na União Europeia. Moscou também exige que Kiev reconheça a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano, e que a Crimeia faz parte da Rússia.

Putin argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin também diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.

Publicidade

 

 

Publicidade