Jogadoras brasileiras fogem da Ucrânia e desembarcam em SP

Ambas chegaram a ser cercadas por tropas russas que invadiram a Ucrânia

jogadoras-brasileiras-fogem-da-ucrania-e-desembarcam-em-sp
Lidiane (à esquerda) e Kedma (à direita) (Créditos: Divulgação/ Grupo Taltus)

Jogadoras brasileiras que vivem na Ucrânia desembarcaram nesta terça-feira (8) no aeroporto de Guarulhos, São Paulo. Ambas chegaram a ser cercadas por tropas russas que invadiram a Ucrânia.

Publicidade

As brasileiras Kedma Larissa e Lidiane de Oliveira jogam no time de futebol Kryvbas Women, em uma cidade no sudoeste do país, a 400 km da capital Kiev. “Teve horas que cheguei a pensar que a gente não ia conseguir pelo fato de a gente estar sendo cercado pelas tropas russas, né?”, afirmou Kedma, segundo o portal G1.

“A gente tentou sair na quinta [3] na primeira vez, só que estava muito cheio o trem, muito lotado e muito frio também. A gente não conseguiu sair, a gente não teve sucesso e a gente acabou voltando para o hotel”, disse Lidiane.

De acordo com sócio do Grupo Taltus, Eduardo Goldstein, que assessora os atletas brasileiros na Ucrânia, ainda há três jogadores de futsal que ainda não conseguiram deixar o país. “Existem três jogadores hoje em Kerson, eles estão no apartamento deles. A parte boa é que Kerson nesse momento está pacificada, ela não está com nenhum tipo de conflito. Ninguém entra e ninguém sai de Kerson”, afirmou Eduardo.

Entenda o conflito

Desde a quinta-feira (24), Vladimir Putin deu início ao conflito contra a Ucrânia ao bombardear regiões do país. A invasão contou com domínios por terra, mar e ar, após autorização do presidente russo.

Publicidade

Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia faça parte da OTAN, uma aliança criada pelos Estados Unidos. O presidente não deseja que uma base inimiga seja estabelecida próxima a seu território, uma vez que a Ucrânia faz fronteira com a Rússia. Esse foi um dos estopins para que Putin iniciasse os ataques.

Publicidade