Bancos russos aderem a sistema chinês após Mastercard e Visa suspenderem operações no país

A decisão foi tomada pela maior instituição financeira do país, o Sberbank

mj-diz-que-mastercard-sera-investigada-por-elevar-taxa-de-intercambio
(Crédito: Canva Fotos)

Inúmeros bancos russos anunciaram neste domingo (6) que vão emitir novos cartões de pagamento com o sistema chinês UnionPay acoplado à rede russa Mir. A decisão vem após as gigantes americanas Visa e Mastercard suspenderem as operações na Rússia.

Publicidade

Nos próximos dias, todas as transações iniciadas com cartões Visa emitidos na Rússia não funcionarão mais fora do país, e todos os cartões Visa emitidos no exterior não funcionarão dentro da Rússia.

Al Kelly, diretor-geral da Visa, comentou sobre a decisão em comunicado oficial: “Somos obrigados a agir, após a invasão não provocada da Ucrânia pela Rússia e os eventos inaceitáveis que estamos testemunhando.”

Já a Mastercard explicou que os cartões emitidos por bancos russos não serão mais aceitos na sua rede e os emitidos por instituições financeiras de fora da Rússia não terão mais validade nos caixas eletrônicos nem no comércio russos.

Contudo, o banco Sberbank disse que as sanções anunciadas pelas companhias americanas não afetariam os usuários dos cartões que ele emite na Rússia.

Publicidade

Balanços bancários

O Banco Central russo ordenou neste domingo (6) aos bancos do país que não publiquem mais os seus balanços financeiros desde a adoção das sanções ocidentais contra o país. As medidas ameaçam dizimar o setor bancário e as economias da população russa.

Algumas das maiores instituições financeiras foram cortadas do sistema internacional Swift, que limita as transações com o resto do mundo. A moeda russa, o rublo, despencou de valor e restrições para a compra de divisas estrangeiras foram impostas no país, na tentativa de limitar as perdas da nacional e a fuga de capitais.  

Publicidade

Ao longo da semana passada, os russos retiraram em massa suas poupanças das contas bancárias, como mostraram imagens de filas imensas diante de caixas eletrônicos e bancos.